Protocolo Multicultural: especificidades da cultura Chinesa

  • O hábito Ocidental de cumprimentar com beijos na face não é bem aceite pelos Chineses, designadamente em ambiente profissional.
  • Não grite nem fale alto.
  • Não é bem visto que em ambiente profissional se trate alguém pelo primeiro nome ou sem o título de “Mr., Mrs., Doctor, President, Director”.
  • Mesmo em situação de conversas empolgantes, não é bem aceite o toque corporal.
  • Gesticular excessivamente é um comportamento estranho aos olhos de um Chinês.
  • Apontar é um gesto que denota grande hostilidade.
  • Não assuma que a língua Inglesa é, ou não é, entendida. Acresce que a utilização de calão é de evitar a todo o custo, bem como de expressões idiomáticas.
  • Reclamações e queixas são consideradas como grosseria pelo que não se deve reclamar publicamente, muito menos sobre aspectos da Cultura Chinesa.
  • Ao entregar um presente, faça-o com as duas mãos e espere que o destinatário o recuse três vezes; insista, caso contrário será interpretado como falta de sinceridade na oferta, que deve ser sempre retribuída. O mesmo se aplica à mesa quando se oferece comida ou bebida.
  • Não ofereça relógios, porque lembram a passagem do tempo e a inevitável chegada da morte; nenhum objecto cortante, porque simboliza a vontade de cortar o relacionamento; lenços, porque estão associados a lágrimas e funerais.
  • Ao receber um cumprimento ou uma lisonja, negue a veracidade do mesmo, o que é entendido como um gesto de humildade; agradecer, neste caso, é considerado como a aceitação desse cumprimento e, portanto, uma atitude de vaidade.
  • Nunca encha o seu próprio copo, espere que seja o anfitrião a fazê-lo; numa situação em que tenha mesmo que o fazer, certifique-se que isso ocorre após os brindes.
  • Ao terminar uma refeição, deixe sempre um pouco de comida no prato: se não o fizer o anfitrião assumirá que pretende repetir e voltará a servi-lo.
  • Assoar-se em público é um acto muito mal recebido pelos Chineses.
  • A par das crenças religiosas, grande parte dos Chineses são igualmente muito supersticiosos, principalmente os rurais.
  • É perfeitamente comum entre os Chineses consultar todo o tipo de “oráculos” (astrologia, leitura da mão, leitura da face) antes de acontecimentos importantes na vida, como por exemplo um casamento ou alterações na vida profissional.
  • Os Chineses rezam por dinheiro e sucesso na vida académica e profissional, boa saúde, nascimento de um filho varão.
  • São profundamente crentes nas técnicas de feng shui (cuja tradução é vento e água), uma antiga arte chinesa que tem o objectivo de atingir a harmonia: a água que flui calmamente serena a mente; montanhas atrás de casa garantem solidez; uma bola de cristal purifica o ar; as plantas que crescem propiciam o desenvolvimento; os peixes atraem a prosperidade.
  • O número 4, cuja sonoridade na língua chinesa se assemelha à da palavra morte, é considerado um número de azar (normalmente os prédios não têm o quarto andar).
  • Olhar para um cadáver traz má sorte: o espírito do morto pode atacar.
  • O sétimo mês lunar do calendário chinês (que corresponde, normalmente a fim de Julho, início de Agosto) é o mês dos fantasmas e consideram perigoso viajar nesta altura.
  • Grande parte dos Chineses não sabe nadar ou tem medo do mar, residindo a razão no facto de que acreditam que os fantasmas habitam os mares.
  • Acreditam também que contar os degraus enquanto se sobe ou desce traz azar.
  • Expressar afeição publicamente não é bem encarado.

 

Cristina Fernandes