Protocolo Multicultural: Cultura Brasileira

O sonho Brasileiro tornou-se realidade: o Brasil é, actualmente, uma grande potência mundial e o mais popular dos BRICS, designadamente para nós, Portugueses, pela proximidade histórica, cultural e linguística. O mundo está de olhos postos nesta economia emergente, que evoluiu da hiperinflacção para uma superpotência no Século XXI.

A popularidade tem o seu preço. As empresas e os profissionais Portugueses rumam ao Brasil em busca de oportunidades de negócio e trabalho, face ao (inqualificável) estado da nação… Então, neste âmbito, ficam algumas indicações para quem viaja para o Brasil em trabalho.

Note-se que, num país cuja característica mais marcante é a diversidade, as práticas profissionais e negociais variam de estado para estado e mesmo de cidade para cidade. São Paulo, a cidade mais internacionalizada e a maior da América Latina, reflecte naturalmente um enorme dinamismo empresarial. Genericamente, quanto mais se avança para Norte, mais conservadora e hierarquizada é a mentalidade profissional.

Quanto a horários, e à semelhança do que acontece na maioria dos países com clima tropical, é comum começar-se a trabalhar a partir das 08h00, mesmo que a jornada de trabalho acabe por se estender até bastante tarde. As reuniões devem ser marcadas a partir das 10h00. Espera-se que os estrangeiros cheguem a tempo, mesmo que esteja praticamente institucionalizado localmente o atraso de quinze minutos. Mas, também neste aspecto, podem ocorrer variações de estado para estado: a Norte a tendência é a de um estilo mais relaxado do que a Sul (onde residem muitos Brasileiros descendentes de Europeus, nomeadamente de Alemães) e os Cariocas são menos pontuais do que os Paulistas. É imprescindível ter em conta o calendário, não agendando compromissos profissionais em datas próximas a festividades.

Como temas para conversa de circunstância, aconselha-se os mega eventos “Copa do Mundo” de 2014 e Jogos Olímpicos de 2016. O desporto é genericamente sempre uma óptima escolha, dado que os Brasileiros são, normalmente, fanáticos por futebol. Outros assuntos como o trânsito, o clima, a gastronomia, são sempre correctos, além de temas culturais como, por exemplo, a música. Evite-se falar de violência, de corrupção, de favelas e, até, de política.

Note-se que, apesar da juventude histórica e cultural Brasileira, o estatuto garantido pela pertença a uma família tradicional é muito apreciado, quer social quer profissionalmente. Esse estatuto social, a tradição de família, a educação e a formação académica são factores geradores de respeito. A troca de cartões-de-visita é fundamental, cartões estes que devem ser de design original e de bom gosto.

O cumprimento profissional adequado é o aperto de mão, mas bastante mais efusivo do que o nosso, sendo que após alguns contactos se poderá tornar normal o beijo no rosto. Também a distância social é menor do que aquela a que estamos habituados e, não raramente, enquanto conversam, os Brasileiros tocam no braço ou ombro do seu interlocutor.

No que respeita ao dress code, e tal como em muitos outros aspectos, também a indumentária usada na vida profissional varia consoante a cidade e área de actividade. Contudo, os Brasileiros são conscientes da moda e consumidores das tendências Europeias e Norte-Americanas, além de naturalmente vaidosos e dedicados ao culto da forma física, muito asseados e cuidadosos com aspectos fundamentais da imagem, como manter os dentes em bom estado, o cabelo limpo e as unhas sempre bem arranjadas. É aceitável que as mulheres, localmente, mesmo em ambiente profissional, apresentem uma imagem mais sexy do que grande parte das Europeias, facto justificado quer pelo clima, quer pelas especificidades culturais, mas tal não é esperado das estrangeiras. Usualmente, as mulheres utilizam maquilhagem de cores suaves, também devido ao clima, mas o batom (imprescindível para uma Brasileira que se preze!) é normalmente de cor forte. Os homens que tenham que negociar no Brasil, devem usar fato escuro, com camisa clássica, com ou sem gravata (mas jamais camisa de manga curta com gravata que, também os Brasileiros, consideram ridículo… e injustificável mesmo apesar do calor). A combinação de roupa com as duas cores da bandeira Brasileira (verde e amarelo) não é sinónimo de bom gosto.

O “jeitinho brasileiro” (equivalente ao “desenrasca” português) é uma nuance cultural muito marcante, transversal a toda a sociedade. Refira-se, ainda, que dificilmente os Brasileiros dizem “não”, podendo deixar no interlocutor português uma indicação errada de realização, dado que culturalmente certas atitudes e linguagem muito assertivas ou até agressivas são consideradas rudes. Em vez do “não” poderão recorrer a evasivas ou até à famosa expressão “deixa comigo”.

O estabelecimento de uma relação pessoal e de confiança prévia à realização de negócios é muito importante e o rosto do negócio é a representação da empresa e da marca.

Cristina Fernandes