Protocolo Multicultural: Arábia Saudita

A Arábia Saudita é o maior país da Península Arábica e uma das maiores nações no mundo. Contudo, cerca de 95% do seu território é uma planície deserta. As duas maiores cidades são Riyadh e Jeddah mas, naturalmente, por questões de natureza religiosa e cultural, a cidade mais conhecida é Meca, local de nascimento do Profeta Maomé, onde todos os crentes da fé Muçulmana deverão ir, pelo menos, uma vez na vida.

A língua falada é o Árabe e a sociedade é extraordinariamente conservadora: o álcool é totalmente proibido e a socialização com mulheres permanece um tema tabu.

Nos relacionamentos negociais na Arábia Saudita é de extrema importância a criação de vínculos sólidos de confiança e quando os intervenientes no negócio não se conhecem haverá necessariamente uma terceira parte envolvida que estabeleça essa interacção.

Algumas notas de carácter protocolar e multicultural:

  • Sendo a Bandeira Nacional de um país um símbolo de indiscutível importância, a da Arábia Saudita é particularmente significativa para todos os Muçulmanos na medida em que tem inscrito o nome de Alá.
  • Os Muçulmanos rezam cinco vezes por dia na direcção de Meca: Fajr (amanhecer), Dhuhr (meio-dia), Asr (tarde), Maghrib (entardecer), Isha (noite).
  • A hospitalidade Saudita é lendária.
  • As actividades públicas na Arábia Saudita são estritamente segregadas, determinadas pelo género, e tentar alterar estas tradições é extraordinariamente arriscado.
  • Assim que pisam solo Saudita, os Ocidentais devem absolutamente agir em conformidade e respeitar as normas culturais deste país.
  • Os horários não são cumpridos habitualmente na Arábia Saudita, porque a pontualidade não é considerada uma virtude. É comum deixar parceiros de negócios à espera ou mesmo, simplesmente, não aparecer.
  • As reuniões ou encontros de trabalho podem frequentemente ser interrompidos por telefonemas ou mesmo por visitas de terceiros. Estes encontros deverão ser marcados para o período da manhã, até porque grande parte dos homens de negócios Sauditas não trabalham mais do que seis horas por dia, ou para a noite, dado o excessivo calor da tarde.
  • A sexta-feira é dia sagrado para os Sauditas, sendo absolutamente impensável considerar reuniões de negócios. Habitualmente também não trabalham às quintas-feiras, pelo que a semana de trabalho vai de sábado a quarta-feira.
  • O calendário Islâmico usa meses lunares de 28 dias e tem feriados de cariz religioso que são incontornáveis.
  • O processo de negociação na Arábia Saudita é lento e requer paciência por parte dos Ocidentais.
  • É fundamental haver um intermediário conhecedor da cultura Saudita que actuará como elo de ligação entre o empresário Ocidental e o empresário Saudita.
  • Os cartões-de-visita deverão estar escritos em Inglês e Árabe.
  • É vulgar que para indicar o termo de uma reunião seja servido café ou queimado incenso.
  • Conversas sobre mulheres, sobre familiares, sobre política deverão ser completamente evitadas – o desporto é um bom tema para small talk.
  • Cumprimente com um aperto de mão.
  • A mão esquerda é considerada imprópria, designadamente para comer.
  • Cruzar as pernas não é cortês e nunca se deve mostrar a sola do sapato.
  • As mulheres Ocidentais devem apresentar-se com grande sobriedade, revelando o corpo o menos possível. A mulher Saudita veste a abaya, que tem por objectivo esconder as formas do corpo feminino (as mulheres devem cumprir tão só o seu papel de esposas e mães) e impressiona a cor escura (normalmente o preto) por oposição ao branco da roupa masculina (apesar de, nas ruas, se encontrarem homens vestidos com dress code Ocidental).
  • As mulheres Sauditas não devem ser fotografadas nem filmadas sob qualquer ângulo, dado que a lei Islâmica não permite que as mulheres olhem de frente para as câmaras.

 

Cristina Fernandes