Protocolo Multicultural: Mulheres Ocidentais no Mundo Islâmico

 

Quando uma profissional se desloca para negociar nos países de religião Muçulmana, poderá ser-lhe útil considerar os seguintes aspectos:

  • Pesquisar e compreender integralmente o papel que cada género detém nessa cultura.
  • Entender que o estatuto da mulher Islâmica varia de país para país e que, portanto, obter informação prévia é fundamental.
  • Prestar especial cuidado à forma como se veste e a todos os aspectos influenciadores da imagem (cabelo, maquilhagem, acessórios). A sua presença visual nunca se deverá sobrepor à sua actuação profissional, pelo que a discrição é a atitude mais inteligente a adoptar.
  • Ao visitar uma mesquita, descalçar-se e cobrir a cabeça, não usando roupa decotada, calções, saias curtas, blusas sem mangas.
  • Não falar nem rir alto.
  • Não passar à frente de quem está em oração.
  • Não fotografar pessoas sem prévia autorização, nunca as fotografar numa mesquita, especialmente outras mulheres.
  • A mulher deve exercer a sua autoridade de forma muito subtil e não ameaçadora, de modo a não criar situações constrangedoras.
  • As equipas locais vão encarar a mulher executiva como uma verdadeira expert… de outra forma não acreditariam que a mesma fosse enviada para negociar num país Muçulmano.
  • Como nestes países os encontros/eventos sociais decorrentes das relações profissionais são apenas frequentados por homens, as mulheres devem cultivar as suas relações profissionais somente durante o tempo de trabalho, propriamente dito.
  • Estabelecer relacionamentos de confiança é fundamental para o desenvolvimento de um processo negocial, pelo que nenhum detalhe deve ser deixado ao acaso.
  • Pode ser necessário lidar com a eventualidade de ser atendida em último lugar, sempre após os homens. A aceitação de tal comportamento, enquadrando-o como uma nuance cultural e não como uma desconsideração, poderá evitar aborrecimentos.
  • O comportamento mais adequado é agir de acordo com o preceito de que, estando num país estrangeiro e numa cultura muito diferente, respeitar essa cultura e respectivas regras é uma atitude reveladora do maior bom senso: revoltar-se e entrar em conflito não vai ajudar nem, tão pouco, resolver.
  • A mulher não deve perder nenhuma oportunidade de demonstrar o quanto os seus laços familiares são fortes e importantes pois, sendo a família fundamental para os Muçulmanos, estes vão certamente apreciar essa atitude.

 

Cristina Fernandes