Choque Cultural

Conviver e/ou trabalhar com outras culturas é uma experiência universalmente tida como muito enriquecedora. No entanto, quando se trata de mudar de país, existe um período de adaptação que, de acordo com múltiplos factores, controláveis e não controláveis, pode ser menos ou mais longo. Após um momento inicial de encantamento (que, em alguns casos, pode nem chegar a existir) a exposição permanente a outra cultura (comportamentos, valores, ambiente, entre outros aspectos) pode gerar stress pessoal e profissional.

Estruturar ideias de forma diferente, falar de forma diferente, agir de forma diferente não são comportamentos com resultados despiciendos. Algumas sugestões para minimizar os impactos menos positivos:

  • Esteja receptivo a enfrentar novos desafios.
  • Prepare-se da forma mais abrangente possível (o que, contudo, pressupõe tempo…) gerindo os sentimentos de entusiasmo em simultâneo com a nostalgia da partida e com o eventual receio do desconhecido.
  • Estude os básicos da cultura na qual se vai integrar.
  • Aceite que os membros do seu círculo familiar e de amigos mais próximos serão afectados, pelo que terá de lidar com essa realidade.
  • Não se deixe esgotar pelos processos relacionados com a logística que estas mudanças, por muito temporárias que sejam, sempre acarretam.
  • Parta, comedidamente, à descoberta do “novo mundo” que se lhe apresenta.
  • Aja com prudência face à nova cultura, prudência tanto maior quanto mais diferente esta for da sua de origem.
  • Encontre tempo para descansar e “assentar ideias”.
  • Estabeleça uma rede de contactos e apoios.
  • Defina onde quer ir, que locais quer conhecer, o que quer aprender.
  • Desenvolva energias positivas, principalmente perante o que for menos agradável ou até estranho.
  • Estabeleça e implemente rotinas que lhe darão sensação de segurança.
  • Aceite momentos de desânimo e desencantamento como parte natural do processo.
  • Atente a sintomas físicos e psicológicos de eventual depressão em si ou nos familiares mais chegados.
  • Utilize as novas tecnologias e meios de comunicação para se manter tão próximo quanto possível daqueles que lhe são queridos.
  • Esteja certo de que o processo designado como choque cultural é passageiro.
  • Enclausurar-se numa bolha de expatriados não vai aliviar o processo de adaptação, pelo contrário, vai prolongá-lo no tempo.
  • Esforce-se por aprender a língua estrangeira, se for esse o caso.
  • Em todas as circunstâncias, sem excepção, demonstre respeito pela cultura na qual agora se insere e evite comportamentos de pseudo superioridade cultural.
  • Não perca de vista os seus objectivos e prossiga com optimismo!

 

Cristina Fernandes