Protocolo Multicultural: temas de conversa desaconselhados em alguns países

No sentido de respeitar as diferentes especificidades culturais e agir com o máximo cuidado e cortesia face aos seus interlocutores, considere que, em cada país ou com os seus nativos, existem temas de conversa tendencialmente a evitar (além dos genéricos, como é o caso da política e da religião). Alguns exemplos são apresentados de seguida.

Em Angola, não fale sobre:

  • O processo de colonização/descolonização, a guerra civil e as diferentes fações políticas.
  • A vida oficial e a vida dos políticos.
  • As Forças Armadas ou de segurança.
  • O racismo e a discriminação étnica.
  • Evite perguntar a idade.

 

No Canadá, não fale sobre:

  • Comparações entre o Canadá e os EUA.
  • Questões acerca da identidade cultural dos Canadianos anglófonos ou francófonos.
  • O estatuto do Quebeque.
  • O espaço da língua francesa e da inglesa na sociedade canadiana.
  • Políticas, ideias ou opiniões radicais.

 

Nos EUA, não fale sobre:

  • Situações de beligerância ou conflitos internacionais em que os EUA tenham estado, ou estejam, envolvidos.
  • Depreciativamente sobre os Símbolos Nacionais.
  • Finanças pessoais.
  • Diferenças étnicas e raciais.
  • Discriminação de minorias.

 

No Brasil, não fale sobre:

  • O relacionamento com alguns países da América Latina, nomeadamente a Argentina.
  • A ditadura militar.
  • A burocracia.
  • Pobreza e favelas.

 

Na China, não fale sobre:

  • Qualquer tipo de reclamação e recriminação.
  • O comunismo como sistema político.
  • Os 3 “T”: Taiwan, Tibete e Tiananmen.
  • A censura e a repressão.

 

Na Índia, não fale sobre:

  • Símbolos e ídolos nacionais.
  • As relações com o Paquistão e com Caxemira.
  • Assuntos pessoais de ordem afetiva.
  • O comportamento das crianças.
  • Os sistemas de castas.
  • A burocracia.

 

No Japão, não fale sobre:

  • Desqualificando a identidade própria e o orgulho do povo Japonês, considerando-o apenas como povo Asiático.
  • As relações com a China e possíveis comparações.
  • O Imperador e a Família Real.
  • Os direitos das minorias étnicas e religiosas, designadamente dos Judeus.
  • O Imperialismo passado e a II Guerra Mundial.
  • A Tragédia nuclear de Fukushima.

 

Cristina Fernandes