Como se deve comportar um convidado num casamento?

Texto escrito para a revista “Noivas de Portugal”, publicada em janeiro de 2021

1.           A primeira atitude reveladora de boa educação de um convidado é responder ao convite, obrigatoriamente e dentro do prazo solicitado. Esta informação de comparência ou não, é fundamental no processo de organização do evento.

2.           Oferecer um presente, independentemente da presença ou não na cerimónia, tendo em conta a multiplicidade de fatores (lista de presentes, valor em dinheiro, etc.). Em qualquer caso, o presente não deve ser, de preferência, entregue no dia da celebração, por questões de reserva social.

3.           Em nenhuma circunstância se deve assumir que o convite é extensível a cônjuges/parceiros/filhos. Só deve estar presente na cerimónia quem for diretamente convidado/a. Por exemplo, quando o convite menciona expressamente “XXX e Família” esta indicação refere-se ao cônjuge/parceiro e filhos, mas se indicar apenas “XXX e Acompanhante/Marido/Mulher”, os filhos não estão incluídos.

4.           Comparecer para a celebração religiosa com quinze minutos de antecedência face à hora marcada é uma atitude de bom senso: chegar tranquilamente, cumprimentar os demais se for o caso, ocupar o lugar devido. Falta de pontualidade nesta situação revela, sobretudo, falta de respeito pelos noivos e pode atrapalhar o início da celebração, na medida em que ninguém deverá entrar após a noiva.

5.           Cumprir cuidadosamente o código de vestuário determinado no convite. Se esta informação não constar, ter em conta o local, a hora, a formalidade ou informalidade da cerimónia, o contexto, entre outros fatores. Em caso de dúvida, consultar antecipadamente os noivos. De qualquer modo, recordamos que as senhoras não devem usar branco, ou cores muito semelhantes ao branco, nem preto. Para uma cerimónia religiosa, ainda se aconselha algum decoro no que concerne decotes e altura de saia, por exemplo. Consideremos que durante o dia alguns vestidos longos e o smoking masculino são despropositados, tal como à noite os chapéus feminimos e o fraque masculino são proibidos. O importante, no que toca ao vestuário é não confundir trajes de etiqueta, elegância e estilo com exibicionismo, pois nesse dia os noivos têm que ser o alvo da total atenção e admiração.

6.           Manter o telemóvel em silêncio, preferencialmente abster-se de o utilizar e apenas tirar fotografias tendo a certeza de que os noivos consentiram, quer a captura de imagens, quer a sua divulgação nas redes sociais e/ou outros meios. Se, esta divulgação for autorizada e incentivada, terá sido criada, certamente, uma ou várias #hashtag para o efeito.

7.           Cumprir com a vontade dos noivos no que respeita às fotografias oficiais, bem como com as indicações do profissional de captação de imagem.

8.           Não reclamar, não ser indelicado/a, não protestar. O momento é de celebração, alegria e boa disposição, jamais de desconforto e/ou constrangimento social.

9.           Ocupar, sem comentários depreciativos, o lugar à mesa que lhe for determinado. Ao sentar-se, e caso não se conheça todos os demais comensais, autoapresentar-se e promover conversa de circunstância, atitudes que traduzem gentileza social e promovem a cordialidade.

10.         Na eventualidade de se ter que conviver com alguém menos próximo, ou cuja companhia não se aprecia, manter padrões de comportamento socialmente corretos. Não é o local, nem o momento, para discutir acaloradamente pontos de vista opostos ou para aprofundar discórdias. Nem, tão pouco, para alimentar intrigas e maledicências.

11.         Abster-se de discursar e de promover brindes se tal não lhe estiver claramente atribuído.

12.         Aceitar as escolhas alimentares e, se não se puder ou não se quiser comer algum alimento ou prato, prescindir de dissertar acerca das respetivas preferências ou escolhas alimentares. Fundamental, igualmente, é não beber em excesso, de modo a poupar os demais a cenas e comportamentos inapropriados que se revelem embaraçantes.

13.         Relaxar excessivamente pois, afinal, por mais informal e animada que esteja a festa, trata-se sempre, e em qualquer caso, de um momento excecional que deve perdurar positivamente na memória de todos e que perdurará, sempre, por gerações, nas imagens captadas.

14.         Comportar-se com boa disposição e alegria, sim, mas sem atitudes que se transformem no centro das atenções. Os noivos, esses sim, é que são “os donos da festa”.

15.         Encontrar o momento certo para sair, nem demasiadamente cedo, nem excessivamente tarde. Despedir-se, sempre, dos noivos, pelo menos.

16.         Posteriormente, agradecer. É um gesto que marca toda a diferença.

Cristina Fernandes